URGENTE: TRUMP ASSINARÁ ORDEM EXECUTIVA SOBRE CENSURA NAS MÍDIAS SOCIAIS

O presidente Donald Trump assinará uma ordem executiva contra censura nas mídias sociais, em meio a um preconceito político que se intensifica rapidamente nos Mestres do Universo do Vale do Silício.


A secretária de imprensa da Casa Branca, Kayleigh McEnany, disse a repórteres a bordo da Força Aérea 1 que o presidente em breve assinará a ordem executiva, embora não tenham sido fornecidos mais detalhes sobre o que será. Isso ocorre depois que Trump alertou as empresas de mídia social que um viés político continuado levaria a uma ação do governo.


"Os republicanos sentem que as plataformas de mídia social silenciam totalmente as vozes conservadoras", disse o presidente no Twitter hoje. "Vamos regular fortemente, ou encerrá-los, antes que possamos permitir que isso aconteça."


O presidente também disse que o Twitter estava "interferindo nas eleições presidenciais de 2020", depois que a plataforma "checou" seus tweets, levantando preocupações amplamente difundidas sobre fraude eleitoral nas cédulas por correio.


Um relatório do Wall Street Journal na semana passada afirmou que a Casa Branca estava preparando uma ação executiva contra o grande viés tecnológico na forma de um painel oficial que analisará casos de viés anti-conservador de empresas do Vale do Silício.


Um porta-voz da Casa Branca pareceu confirmar a iniciativa na época, dizendo ao Jornal “O preconceito de esquerda no mundo da tecnologia é uma preocupação que definitivamente precisa ser abordada do nosso ponto de vista, e pelo menos exposto para que os americanos tenham claro em seus olhos sobre o que estamos lidando."


As empresas de tecnologia continuam negando que se envolvam deliberadamente em preconceitos políticos, mas as evidências contra suas declarações continuam a aumentar.


Além dos eventos desta semana, quase todas as grandes empresas de tecnologia foram engajadas em um escândalo de preconceito político desde as eleições de 2016, e esses casos continuam a se acumular. Isso inclui o Facebook colocando conservadores tradicionais como Candace Owens e Brigitte Gabriel em uma lista de "revisão de agentes de ódio", o Twitter levando dias para remover ameaças violentas contra estudantes do ensino médio que apóiam Trump e se recusando a agir contra o discurso de ódio do membro do conselho editorial do New York Times Sarah Jeong e vazaram imagens de executivos do Google declarando sua intenção de tornar o movimento populista de Trump um "pontinho" na história.


Traduzido do site https://www.breitbart.com/tech/2020/05/27/president-trump-will-sign-executive-order-on-social-media-censorship/

1,559 visualizações